Exposição traz ao espaço escolar um panorama da produção artística chapecoense do início da década de 80 e contemporânea com obras de artistas do Grupo CHAP  e da Associação Chapecoense de Artistas Plásticos (ACHAP). 

Com a preocupação de fomentar a cultura no município e na formação dos alunos, o Colégio Trilíngüe Inovação traz ao espaço escolar um panorama da produção artística Chapecoense do início da década de 80 e contemporânea com a exposição de artes plásticas Arte em Dois Tempos. A mostra acontece de 7 de julho a 15 de agosto de 2008 e reúne trabalhos do “Grupo CHAP”, que promoveu um movimento em torno do fomento das artes visuais em Chapecó entre os anos de 1979 e 1980. Agostinho Duarte, Antônio Chiarello, Dalme Marie Rauem, Enio Griebler e Paulo de Siqueira são os nomes que compunham o grupo que hoje assume uma importância marcante na história do município e é relembrado nesta exposição: a primeira retrospectiva quase 30 anos após sua formação.

Criando um elo entre dois momentos da história das Artes Plásticas no município de Chapecó, acontece no mesmo espaço do Colégio Trilíngüe Inovação a mostra da Associação Chapecoense de Artistas Plásticos (ACHAP), reunindo trabalhos de Elisa Iop, Eduardo Dutra, Janaina Corá, Luiziana Hoerbe, Mariel Moro, Marlowa Pompermeyer Marin, Neocy Fin, Newton Reis, Sandra Abello e Vicky Lecuon.

Construir uma identidade cultural do município é um dos objetivos da ACHAP, que vem realizando mostras coletivas e discussões a respeito da realidade cultural de Chapecó desde sua formação, em novembro de 2004. Esta mostra homenageia dois artistas que faziam parte da ACHAP, hoje in memorian. São eles: Cyro Sosnoski e Agostinho Duarte. Este último duplamente homenageado, pois também fazia parte do Grupo CHAP. A mostra acontece no 2º piso do bloco 2 (sala 1) e está aberta ao público com agendamento prévio. 

Educação para a arte 

A abertura oficial da Mostra aconteceu no dia 9 de julho com a presença de pais, alunos e corpo docente do colégio.  Na oportunidade, o professor de Arte, Eduardo Dutra, que também é um dos artistas da ACHAP, pronunciou-se dizendo que a exposição tem um fim didático que está na educação para a arte em espaços convencionais. “Para se compreender a arte podemos exercitar nossa sensibilidade, conhecer o contexto histórico que envolveu a criação de uma obra ou as razões políticas e sociais que levaram à concretização de um pensamento, uma idéia, que se materializa em uma obra”, explicou o professor.

Airton e Cleusa de Castro, pais da aluna Rhavilla, do 2º ano, externaram grande satisfação em visitar este espaço. “Estamos muito felizes em saber que o colégio está oferecendo a nossa filha a oportunidade de conviver com a memória cultural de Chapecó, sinal de que esta escola tem uma visão de futuro sem esquecer o passado”.

De acordo com Gislaine Baez, gestora do colégio, os movimentos artísticos serão incentivados sempre, pois são importantes para o desenvolvimento dos alunos. “É a experimentação da Arte que nos faz humanos, pois a humanidade não se resume a um conjunto de regras sociais, a humanidade é sentimento e empatia, é reflexão e projeção, é comunicação e reciprocidade. Além disso, a arte nos ensina a sermos flexíveis e a flexibilidade é condição fundamental para a aprendizagem”, ressaltou.

Os alunos do Colégio Trilíngüe Inovação estão visitando a Mostra durante as aulas de Arte, que também está aberta à visitação do público em geral com horário previamente agendado. Visitações devem ser marcadas através do telefone (49) 3322.4422, com Juliana.